Francini Barros Pontes

 

Título da Dissertação de Mestrado:

ANDARILHO – IMPULSO E TRIVIALIDADE

 

Professor Orientador:

Profº Drº Marcus Alexandre Motta

 

Ano:

2007

 

Resumo:

A dissertação é o resultado do entrecruzamento de três categorias artísticas: dança, artes plásticas e literatura. Ela tem início através do embate com a performance Outdoor Piece, do artista plástico Tehching Hsieh, feita "idealizável" quando comparada à questão do movimento bem como a outros artistas e obras literárias. Sempre a partir da proposta feita ao movimento – impulso – a pesquisa propõe a aceitação do ceticismo em relação à abrangência da linguagem artística, declinando o declínio do conceito "Dança".

O impulso é pensado como palavra de movimento, transitória e trivial, que recepciona as imagens do mundo. Enquanto ação andarilha, propõe o estado de trânsito como argumento para a arte e sua história. Através da vivência de seu experimento a arte encontra a condição anacrônica, revelando a tolerância da artisticidade para com as imagens do mundo e com a própria história da arte; o impulso apresenta o ordinário como condição artística.

 

Palavras-Chave:

Andarilho, impulso, trivialidade, movimento, corporeidade.

 

Clique no link para ter acesso ao texto integral em ".pdf":

Andarilho - Impulso e Trivialidade